terça-feira, 2 de junho de 2015

O CRISTÃO, O DINHEIRO, O TRABALHO E A HONESTIDADE




"Honestidade nunca será demais, sua moral não se ganha, se faz".
(Música: Pânico na Zona Sul do grupo brasileiro de rap Racionais MC's) 



O CRISTÃO, O DINHEIRO, O TRABALHO E A HONESTIDADE.

Por Fernando José

Até onde vai a honestidade? A nossa honestidade é a honestidade bíblica?

Então vamos de exemplo: De forma honesta, trabalho de domingo a domingo sem dá descanso a mim mesmo, sem dar a atenção devida à minha família, sem "ligar" pra ninguém. Nessa minha honestidade, eu, que deveria mostrar princípios cristãos, deixo de lado o meu devocional com Deus... A maioria do trabalho honesto que vejo é assim: Não cresce roubando, mas em compensação deixa-se um rastro de destruição indizível... Deixam-se marcas em pessoas e eventos... Há um sacrifício um tanto desnecessário!

O trabalho honesto visa o equilíbrio, suprimento de necessidades, que é diferente de ostentação. Trabalhamos honestamente para fugir da pobreza e do enriquecimento ilícito. Analisemos o que é honestidade, não vamos confundir as coisas...

A honestidade é contrária à malandragem ou fraude. Desse modo, está complicado saber quem verdadeiramente tem princípios cristãos dentro do trabalho nosso de cada dia, já que a maioria esmagadora dos cristãos se envolve no "jeitinho brasileiro" de ser no sistema trabalhista.

Fraude em documentos, fraude nos prazos, malandragem no serviço (o popular nó cego). Como cristãos fazemos tudo isso - quanto mais é promovido, mais propenso ao erro. Não roubamos à mão armada, mas mesmo assim, nessa "nossa honestidade", somos desonestos.

Nesse nosso cristianismo hodierno, longe do Cristo, o que entendemos por "honestidade"?

Por Fernando José


Postar um comentário