segunda-feira, 10 de abril de 2017

Diabo Babá ou Babá Diabo?


Verdade?


Indo direto pro Inferno





Afirmação tosca: 

"São vidas indo direto pro Inferno!". 

Antes de afirmar tal, devemos nos perguntar: Quem pode afirmar isso? O que é ou onde é o inferno? Quais estudiosos que se aprofundaram no tema INFERNO estão corretos? Nossa chave interpretativa é o Cristo, logo, o que o Mestre tem a falar sobre isso? Estamos pregando a Verdade ou pregando a verdade que alguém pregou achando que é verdade mas não é a Verdade? Num 'mundo gospel' em que tudo é demônio/capeta (GALINHA PINTADINHA, PIU-PIU, SMILINGUIDO, TURMA DA MÔNICA, HELLMAN'S...) eu nem sei mais o que é diabólico! O diabo até assume o lugar dos pais, está fazendo bico nessa crise, cuidando das nossas crianças - o que o Livro fala sobre isso? O que vem a ser Mordomia Cristã?  Se faz necessário analisar o caso com uma cosmovisão cristocêntrica, amorosa, equilibrada e humanitária!

A vinha que não plantamos...


sábado, 11 de março de 2017

A Bondade de Deus





Pela Sua Bondade ele fala, faz-nos vencedores, enche-nos de gozo, guia-nos pelo Caminho Bom, enche-nos de real valor, de poder celestial, nos unge, promete, cumpre, abençoa, reveste-nos, inflama-nos, nos desperta, traz a brisa, nos aquece, enche nossos corações...  A Bondade de Deus é favorável e torna-nos favoráveis, traz prazer/deleite; ela traz satisfação, traz festa (heb. tôb – bom, festivo), nos qualifica. A Bondade Divina faz-nos “subir daquela terra a uma terra boa e larga, a uma terra que mana leite e mel" [1]. Por ela, ele abre os céus, manda água, faz brotar frutos da terra, traz potencial, produtividade; essa bondade nos encanta, contenta-nos, enfim, “cai bem”! A pergunta: “Que darei eu ao SENHOR, por todos os benefícios que me tem feito?" [2], deixa clarividente que, por mais que tentemos retribuir, oferecer ou corresponder ao melhoramento, às vantagens, aos proveitos e resultados concretos que o Bom Deus nos concede, nada seria.... Não temos como transferir, não tem como explicar ou retribuir! Logo, o “Efeito Barganhar”, aquela troca de objetos através de um acordo, não existe na relação Senhor-servo. Nessa relação, a permuta (com seus acordos, trocas, pertences, substituições, combinações e contratantes) não é bem aceita. O ser humano, “barganhoso” por natureza, é desbancado logo de primeira com a seguinte expressão:

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” [3].

Deus deu. Ele cedeu, ofereceu. Ele não deu por salário ou  pagamento por algo que nós fizemos por Ele antes; não trabalhamos pra Ele, antes, porém, Ele escolheu aos seres humanos, imperfeitos, aqueles que erram e se escondem atrás das árvores, aqueles que inundam a terra com as suas malícias, aqueles que corrompem o sagrado, os mesmos que sempre duvidaram da sua Palavra; escolheu-os para lhes oferecer as suas dádivas! Não temos como pagar isso.

“Nosso tudo” (que tanto é proclamado pelas igrejas atuais) praticamente não existe. O que temos pra oferecer? A quem pertence a nossa vida? E as coisas que vêm anexas a ela, quem concedeu? O que temos? O que somos? Viemos de onde? Tudo não vem Dele?

O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens; Nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas; E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação; Para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, o pudessem achar; ainda que não esteja longe de cada um de nós; Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração[4].

Ele é quem dá todas as coisas... Não adianta tentarmos comprar o dom, subornar o profeta, esconder a minha parte da venda e dizer que ganhei menos, não adianta disputar, Ele é quem dá todas as coisas... Cabe a nós buscá-Lo em oração, sem fórmulas interesseiras e materialistas, cabe a nós a probidade, a decência, juntar o útil ao agradável, trabalhar - ser ativos profissional e espiritualmente, aplicar esforços na nossa luta espiritual, de forma a exercer o chamado que temos - caminhar na companhia Dele, observá-Lo atentamente - com o pensamento, com o olhar  seguindo a Sua direção. Compete a nós, vencer o mal (com Ele), ter zelo - que inclui dedicação, afeição, diligência - firmeza para  praticar atitudes corretas!

Por Fernando José. 



NOTAS:
[1] (Êxodo 3. 8)
[2] (Salmos 116:12)
[3] (João 3.16)
[4] (Atos 17:24-28)



REFERÊNCIAS:
  • VINE, W.E. Dicionário Vine: O significado exegético e expositivo das palavras do Antigo e do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD.
  • Novo Testamento Interlinear Grego - Português. Concordância Bíblica, Barueri: SBB.
  • Dicionários da Língua  Portuguesa.



Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material, desde que informe o autor. Não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Resenha: Ciência, Intolerância e Fé






JOHNSON, Phillip E. Ciência, Intolerância e Fé - A cunha da verdade: rompendo os fundamentos do naturalismo. TRADUÇÃO: Elizabeth Gomes – Viçosa, MG: Ultimato, 2004. 216 pp.




Phillip Johnson, utilizando de ilustrações e lógica, já no início da abordagem, explica que o modernismo - que é tido como uma filosofia reinante na cultura hodierna - sustenta que Deus é impessoal. Essa filosofia  afirma que Ele não criou o cosmos e não governa o mesmo pela sua soberana vontade. Para eles, a Criação é considerada como não dirigida por Deus. Essa filosofia tem a preeminência na ciência, nas academias, no direito, no sistema literário e psicológico, no sistema educacional, na mídia, sendo apoiado pelos governos.
Johnson tem por objetivo levar o leitor a uma compreensão mais profunda de aspectos do pensamento filosófico e científico, para que, de forma mais efetiva, possa confrontar o mundo secular com o evangelho. Segundo suas próprias palavras, ele escreve “apenas resumidamente sobre o que está por vir”. No mundo em que vivemos as pessoas perguntam: O que está acontecendo? O que podemos fazer para ajudar? Phillip Johnson esclarece que CIÊNCIA, INTOLERÂNCIA E FÉ aparece no cenário como uma resposta a essas perguntas!
O autor leva o leitor a reconhecer o que aconteceu, obtendo uma compreensão mais profunda acerca dos seres humanos e dos problemas que fundamentam e cercam a condição humana. Através da presente obra, Phillip leva-nos a verificar se estamos testando nossas ideias, acerca de Deus e seu papel ativo na criação, como deveríamos. 
Phillip Traz à tona os debates sobre ciência e evolução, desmistificando a ideia de que “a ciência é a autoridade suprema na sociedade”. Através desse livro o autor concede ao leitor ferramentas para a boa informação acerca do debate atual!
Um trabalho analítico e apologético sobre o darwinismo, a evolução, a criação e o teísmo, é como podemos definir a obra em pauta. O autor coloca em relevo afirmações científicas sem base, levando o leitor a compreender, em parte, sobre os acontecimentos no meio científico e sobre a Ciência. A partir daí o leitor terá elementos suficientes para a crítica inteligente e sem preconceito. Argumentos para debater romper com os fundamentos do secularismo nosso de cada dia que, em sua atitude, se demonstra anticristão.
CIÊNCIA, INTOLERÂNCIA E FÉ leva-nos à reflexão acerca dos cuidados quanto a fé, produzindo resistência em relação aos argumentos acadêmicos e científicos.


Por Fernando José. 




A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Blog O Inconformista.


















segunda-feira, 28 de novembro de 2016

#VC13 - AVIVAMENTO






VISÃO CRISTOCÊNTRICA (13): AVIVAMENTO



"E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra." 2 Crônicas 7:14

O que marca um verdadeiro avivamento?

“Seguir a vida condicionada a lei de Deus , vigiando e conservando, realizando e preenchendo o que Deus exige que se faça, obedecendo ao seu comando” (Fernando José).

Avivamento é sinônimo de tornar a ter a alegria da salvação (OU AINDA, COMEÇAR A TER ESSA ALEGRIA), conversão, vivificação, fertilidade...

Líderes: exemplo no avivamento

Alguns líderes políticos e espirituais (A.T.) se destacaram por trazer as bases de uma reforma, ainda que, em alguns casos, fosse um avivamento efêmero: neutralizaram a prostituição nas suas terras, quebraram/removeram ídolos, derrubaram altares de pseudo-deuses, despediram mulheres estrangeiras (Êxodo 34.12,16; Deuteronômio 7.3), purificaram o templo, tornaram a trazer utensílios da Casa de Deus.

No N.T. vemos um exemplo singular:

E entrou Jesus no templo de Deus, e expulsou todos os que vendiam e compravam no templo, e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas; E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração; mas vós a tendes convertido em covil de ladrões. Mateus 21:12-13

E estava próxima a páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. E achou no templo os que vendiam bois, e ovelhas, e pombos, e os cambiadores assentados. E tendo feito um azorrague de cordéis, lançou todos fora do templo, também os bois e ovelhas; e espalhou o dinheiro dos cambiadores, e derribou as mesas; João 2:13-15

Avivamento é...

Avivamento é pôr em relevo a identidade cristã. Avivamento é dar importância ao LIVRO, é não desprezar o conhecimento. Quando o Avivamento chega, nos preocupamos com o que se passa no mundo, como disse John Wesley: “a Bíblia em uma mão, e o jornal na outra”. Quando avivamos temos opinião, sabemos o porquê das coisas.

No Avivamento, palavras como DESRESPEITO, INUTILIDADE, DESVALORIZAÇÃO, DESMERECIMENTO, BAIXA ESTIMA, DESATENÇÃO, estarão excluídas do nosso dicionário. O Avivamento emana de Deus para o povo que ouve a palavra Dele. O Avivamento tem como centro a presença de Deus!


Por Fernando José.


Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material, desde que informe o autor. Não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

#VC12 - FILHOS







VISÃO CRISTOCÊNTRICA (12): FILHOS



Começamos falado sobre a  rebeldia dos filhos. Observamos que o Livro de Deuteronômio deixa evidente as leis acerca de um filho em grande teimosia, opositor, que não aceitasse a autoridade, lutando e manifestando-se contra ela:

Então seu pai e sua mãe pegarão nele, e o levarão aos anciãos da sua cidade, e à porta do seu lugar; E dirão aos anciãos da cidade: Este nosso filho é rebelde e contumaz, não dá ouvidos à nossa voz; é um comilão e um beberrão. Então todos os homens da sua cidade o apedrejarão, até que morra; e tirarás o mal do meio de ti, e todo o Israel ouvirá e temerá. Deuteronômio 21.19-21

Já nos Salmos (78.3-8) constatamos o proceder que os pais deveriam ter com os filhos para evitar a rebeldia:

1- Os filhos ouviriam dos pais, sobre a Lei e os feitos de Deus. Iriam saber através do ouvir.
2- Os pais mostrariam, logo, os filhos não iria omitir, contariam também a sua descendência.
3- Os que viessem depois teriam conhecimento do ensino e repassariam mais adiante.
4- Aprenderiam, através desse ensino repassado, a ter esperança em Deus, a não se esquecer das Suas obras e guardar Seus mandamentos.
5- Objetivo: que os filhos, a descendência não fossem rebeldes iguais aos pais.

Ensinar os filhos era (no A.T.) uma ordenança: .

...E as farás saber a teus filhos, e aos filhos de teus filhos. Deuteronômio 4:9

E que seus filhos, que não a souberem, ouçam e aprendam a temer ao SENHOR vosso Deus... Deuteronômio 31:13

Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele. Provérbios 22:6

No Novo Testamento vemos, na Carta de Paulo aos Efésios 6.4:

E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.

O trecho supracitado mostra que o tratamento dispensado pelos pais aos filhos, pode gerar desânimo e ressentimentos. Mas, se for uma disciplina no Senhor, através dessa disciplina alcançarão educação, instrução.

Nos tempos atuais, aderimos às palavras de um terapeuta familiar, o Pr. Josué Gonçalves, que estão impressas em seu livro A CURA DE DEUS PARA FAMÍLIAS EM CRISE (Ed. Mensagem para todos, 2004), eis alguns trechos:

“Ter filho representa, acima de tudo, receber uma missão e uma grande oportunidade.”

“... educar filhos neste tempo de acordo com os princípios da Palavra de Deus é o grande desafio.”

“Lares instáveis, geram filhos instáveis.”

“Não existe em qualquer sociedade uma instituição que possa comparar-se à igreja no seu potencial de influência sobre a infância e o desenvolvimento familiar.”


CONCLUSÃO Para evitar a desobediência e a não submissão por parte dos filhos os pais tem que estar presentes, não devem criticá-los de forma exagerada, a correção deve ser um ato consciente (com amor), a proteção deve ser alinhada e balanceada, agressividade zero, pressão zero, amizade 100%.


Por Fernando José

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

#VC11 - SOCIEDADE






VISÃO CRISTOCÊNTRICA (11): SOCIEDADE




DO LATIM ‘societas’, DERIVADO DE ‘socius’(COMPANHEIRO).

CONSIDERO “SOCIEDADE” COMO UM AGRUPAMENTO DE PESSOAS QUE, JUNTAS, DE FORMA SIMULTÂNEA, EM REUNIÃO E FORMANDO UM TODO, PARTICIPA DE DECISÕES, PREFERÊNCIAS, INTERESSES; SE PREOCUPAM, EMPREGANDO ATENÇÃO/CUIDADO... SOCIEDADE É AÇÃO MÚTUA, RECIPROCIDADE, INFLUÊNCIA DE UNS SOBRE OS OUTROS. AQUI INCLUEM PROPÓSITOS, GOSTOS, COSTUMES, ETC. SOCIEDADE É DIVISÃO DE TAREFAS, ORGANIZAÇÃO E, PARA QUE ESTA SEJA PLENA É PRECISO ARRANJAR, COMBINAR, NECESSÁRIO É HAVER DISPOSIÇÃO, SENDO ASSIM, OS ENVOLVIDOS DEVEM ESTAR BEM SITUADOS, EM BOA COLOCAÇÃO. SOCIEDADE É SINÔNIMO DE RELACIONAMENTO, INTERDEPENDÊNCIA, OBJETIVO COMUM, ASSOCIAÇÃO AMIGÁVEL, LEVANDO EM CONTA QUE TAMBÉM EXISTEM COMPETIÇÃO E CONFLITOS. 


1. ONDE COMEÇOU A SOCIEDADE? 

COMEÇA COM A CRIAÇÃO DO HOMEM: 

E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. 
E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. 

A SEGUIR: 

E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. 
Então o SENHOR Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar; 
E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão. 

APÓS A UNIÃO, HOUVE ADIÇÃO: 

E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem. 
E deu à luz mais a seu irmão Abel... 

E CONTINUA A MULTIPLICAÇÃO:

(Adão) gerou filhos e filhas. 

DORAVANTE, SÃO INÚMERAS AS GENEALOGIAS, AS SÉRIES DE FAMÍLIAS, FAMÍLIAS QUE GERAM TRADIÇÕES, CRENÇAS, CULTURAS; QUE DÃO LUGAR A ESTILO E QUALIDADE DE VIDA, QUE VÃO AO ENCONTRO DA DEMOCRACIA, QUE GERA A POLÍTICA... 


2. O CRISTÃO E A SOCIEDADE 

NA SOCIEDADE, O CRISTÃO TEM COMO PAPEL FUNDAMENTAL SER LUZ; AQUI, NOSSOS ATOS (O QUE ESTAMOS FAZENDO) SERÃO JUSTOS, NOSSAS DECISÕES DEVEM TER EFEITO SEGURO, SEREMOS COMO LUZES, BRILHO E SABER VISÍVEIS.

PRA ENCERRAR, OBSERVE O TRECHO ABAIXO EXTRAÍDO DE COMENTÁRIO HISTÓRICO-CULTURAL DO NOVO TESTAMENTO, CPAD: 

“... As cidades antigas eram construídas com calcário branco, e desta forma reluziam como a luz do sol. Lâmpadas eram mantidas acesas nas casas durante toda a noite, dispostas em lugares altos... a ‘luz’ não deve ficar escondida...” 


Por Fernando José 


BIBLIOGRAFIA:
BÍBLIA SAGRADA 
VINE, W.E., Merril F. Unger e William White Jr. Dicionário Vine: o significado exegético e expositivo das palavras do Antigo e do Novo Testamento. (CPAD, 2006).
RICHARDS,Lawrence O. COMENTÁRIO HISTÓRICO-CULTURAL DO NOVO TESTAMENTO, (CPAD).



Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material, desde que informe o autor. Não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.



segunda-feira, 7 de novembro de 2016

#VC10 - O SOCIAL





VISÃO CRISTOCÊNTRICA (10): O SOCIAL



Repartir é distribuir, reservar uma porção de um todo para uma pessoa ou mais pessoas. É fazer com que os que não têm e participar com os que têm... 


O Social 

Quando o social está presente na comunidade cristã, de forma viva, firme e operante, há desenvolvimento/crescimento; pessoas serão geradas, haverá aumento, progressão. 
Quando aplicamos esforços para entender e viver o “lado social” da Igreja, estamos preparados para vivermos em unanimidade: corremos para uma só direção, juntos, em união. E, nessa corrida, é preciso que cada um dos atletas esteja em perfeição (física e psicológica). Todos vão precisar se alimentar corretamente, vestir a roupa adequada, calçar o apropriado... Alguns vão está em último lugar (bem lá atrás), mas, sempre terão um lugar (aqui na frente) com o grupo, pois, não haverá disputas, daremos as mãos:


“Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.” 

(Carlos Drummond de Andrade)


Prestaremos a atenção não somente naquilo que está no centro, que é popular ou chamariz; colocaremos nossa visão no que está à nossa volta, afastado, periférico, à margem. 

Discriminação x Resolução 

Atos 2. 42-47 é um exemplo de grande estima entre os cristãos, mas, não devemos esquecer que existe outro trecho, no mesmo livro, que merece nossa atenção (6.1). A diferença, o desprezo e a discriminação começaram a surgir. Fim da comunidade? Não! Instituíram pessoas responsáveis para este setor (vv. 2-5). Resultado (mais uma vez): v.7! 
Cristãos hodiernos: estaremos em multiplicação em nossas igrejas, mas, problemas surgirão (principalmente o da obra social); nesses momentos, onde estarão os líderes espirituais? Onde estarão os solucionadores de problemas? Quem irá definir os papéis? Quem estabelecerá procedimentos? Quem irá fazer escolhas? Quais serão escolhidos? 
Às vezes estudamos os primeiros capítulos do Livro de Atos, como se eles retratassem uma igreja que está perdida-como se a unidade, o amor e a experiência da presença de Jesus fossem coisas que na verdade não pudessem ser nossas hoje. Não vamos cometer esse erro. O Espírito de Deus ainda é uma realidade presente. Homothumadon (Gr. correr juntos, em união - unânime) ainda é possível no mundo fragmentado e impessoal de hoje. Se procurarmos uma razão para o vazio em nossa própria experiência, devemos olhar primeiramente para nossa hesitação em compartilhar com nossos irmãos e irmãs ou olhar para nosso fracasso em permitir que outros ajudem a levar os fardos de nossa vida, e apresentá-los a Deus em confiante oração. 

"A igreja, a nova comunidade de Cristo está entre nós hoje. Nós somos a igreja. E Deus, o Espírito, é capaz de tomar nossos 11, e nossos 120, e nossos 3.000, e, quando enfocamos alegremente nossa vida compartilhada em Jesus, Ele mesmo orquestrará nossa vida de acordo com sua maravilhosa ‘unidade’." (The Teacher’s Comentary, p. 769).


Por Fernando José 


BIBLIOGRAFIA:
VINE, W.E., Merril F. Unger e William White Jr. Dicionário Vine: o significado exegético e expositivo das palavras do Antigo e do Novo Testamento. (CPAD, 2006).



Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material, desde que informe o autor. Não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.


terça-feira, 1 de novembro de 2016

Resenha: A Supremacia de Cristo





FERNANDO, Ajith. A Supremacia de Cristo: Uma apologética ao alcance de todos (Título original em inglês: The Supremacy of Christ) – Tradução: Gordon Chown; São Paulo: Shedd Publicações, 2002. 256 pp.



Ajith mostra, através desse título, o cenário da era presente: novos desafios que exigem uma atitude apologética e postura teológica adequada, pluralismo – filosofia dominante, expansão das religiões orientais com visão missionária, o pensamento da Nova Era entronizando em esferas diferentes do Ocidente, falta de compromisso com a verdade no meio evangélico. Somam-se a isto os conflitos raciais, classistas, éticos e religiosos!
Em meio ao caos, adquirir ‘um pouco de apologética’ é preciso, para que, de forma teológica, possamos enfrentar os desafios dos nossos dias! 
Segundo Ajith, ele mesmo procura demonstrar a Supremacia de Cristo, através desse livro, tendo como base o evangelho de Cristo. O autor procura demonstrar que a pessoa de Cristo, em sua preexistência, existência, feitos, afirmações que fez e o que os apóstolos afirmaram, nos deixa evidente que, de fato, Ele é Supremo. Fernando faz uma comparação entre as afirmações de Cristo e outras ideologias, que ele tem como concorrentes.
Apesar do título do livro nos levar à mentalidade primária de que se trata apenas de um trabalho na área de Cristologia, o autor vai além expondo que na obra encontraremos exegese bíblica, crítica do NT, teologia, apologética, biografia, inspiração e desafio. Enfim, a presente obra visa a compreensão da apologética e da obra de Cristo!
 Há um entrave nas religiões: cada religião é absoluta para seus seguidores.  Há no Ocidente evidências relacionadas ao ceticismo a respeito da possibilidade de se ser a verdade, onde há a proclamação de que a verdade absoluta não existe. Pregam que há a impossibilidade de dizer que qualquer sistema individual de pensamento é a verdade absoluta. Logo, A Supremacia de Cristo vem com o objetivo de convencer até mesmo aqueles que não aceitam que a Bíblia é a autoridade infalível da fé.
Fernando Ajith mostra ainda o embate entre o pluralismo e a revelação. Sendo que o primeiro traz uma ‘nova revelação’. Para o autor, o cristianismo entende a Revelação como o desvendar de Deus para a humanidade – pela natureza, pela consciência, pela Escritura – tendo o ápice na Supremacia de Cristo. Já os escritos das várias religiões que compõem o pluralismo falam sobre descobertas diversas e empíricas do único Deus, sendo que a verdade absoluta do movimento consiste em expressões diferentes de Deus, e cada expressão com várias faces. Ajith enfatiza que o absoluto é uma pessoa, Jesus Cristo. Para o autor, conhecer pessoalmente o absoluto é desfrutar da salvação, da amizade, do senhorio... Ajith leva-nos a entender um pouco sobre a incomparabilidade de Cristo, lançando por terra alguns maus entendimentos sobre o cristianismo que trazem horror às outras religiões! Fernando demonstra que, no cristianismo, os ensinos de Cristo estão vinculados às declarações a respeito de Sua pessoa. Através do exame dos ditos de Jesus podemos ver que Ele é o Senhor que reina absoluta e divinamente - chegamos a essa conclusão quando analisamos o modo como ele vivia e as coisas que ele fazia.
Ajith deixa evidente que a vida de Cristo, que não se compara a nenhuma outra, experimentou frustrações e dores da raça humana, mostrando a base para sua humanidade. Enquanto sua vivência mostra a Sua divindade. Na contextualização bíblica, os evangelhos confirmam as obras, a vida imaculada e os milagres de Cristo, tendo o ápice em Sua ressurreição! Em resumo: a Sua vida autentica Suas palavras. 
De forma objetiva, os evangelhos evidenciam que Ele dizia ser igual a Deus, de forma que Seu ensinamento atraente somado às obras autenticaram Suas afirmações.
O autor apresenta argumentos adequados com o propósito de levar-nos diante da realidade presente em que há pessoas que dizem que “todas as religiões levam a Deus”, confirmando que o cristianismo tem seu alicerce na pessoa e obra de Jesus Cristo. O cristianismo leva em conta que a salvação é baseada nas obras que Cristo fez e expõe que somos criados por Deus, sendo que este é transcendente. 
Enfim, com uma série de argumentos, Fernando Ajith indo de encontro às ideologias concorrentes, apresenta uma obra de cunho apologético que legitima a crença no meio cristão.


Por Fernando José. 




A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Blog O Inconformista.












segunda-feira, 31 de outubro de 2016

#VC9 - SAL E LUZ






VISÃO CRISTOCÊNTRICA (9): SAL E LUZ



Mateus 5 
13 - Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nade mais presta, senão para ser lançar fora e ser pisado pelo homens. 
14 - Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; 
15 - nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire mas, no velador, e dá luz a todos que estão na casa. 
16 - Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus. 
Romanos 12 
1 - Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. 
2 - E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. 


I. O CRISTÃO COMO SAL DA TERRA 

O SAL QUE, NOS TEMPOS ANTIGOS, JÁ FOI CONSIDERADOCOMO ARTIGO DE LUXO (“OURO BRANCO”), AGE COM A CAPACIDAE DE DESTRUIR OS MICRÓBIOS, TENDO COMO UMA DE FUNÇÕES, DESINFECTAR! 

CONSIDERAÇÕES SOBRE O SAL: 

* DEVE SER USADO EM QUANTIDADE HARMÔNICA. EM BOA PROPORÇÃO. 
*SEU GASTO DEVE SER EM JUSTA MEDIDA. 
*DEVE SER APRECIADO COM PRUDÊNCIA. 


Os médicos aconselham que devemos reduzir o consumo de sal, para prevenir doenças no coração, principalmente a hipertensão (pressão alta), porém na maioria dos casos de hipertensão, a redução de sal na alimentação apenas ajuda. A elevada ingestão de sal de cozinha faz com que o organismo retenha mais líquido e aumente seu volume, podendo elevar a pressão sanguínea causando a hipertensão que é responsável pelo infarto e a AVC (Acidente Vascular Cerebral), além disso, o excesso de sal pode também prejudicar os rins.
Não é somente diminuir o sal dos alimentos, deve-se também observar que vários alimentos industrializados possuem sal como, por exemplo: pães, queijos, cereais, bolachas, enlatados, etc.

Fonte: http://www.viaki.com/home/saude/sal.php



COMPARANDO COM O DISCÍPULO: AO APRENDIZ É DADO O ESPÍRITO, O MESMO SE MOVE /AGE NO INSTRUÍDO, CONCEDENDO-LHES DONS (1 Co 12.7-11) “PARA O QUE FOR ÚTIL”, E, “O MESMO ESPÍRITO OPERA TODAS ESTAS COISAS”. RESUMINDO: O ESPÍRITO QUE DÁ E OPERA O FAZ COM EQUILÍBRIO, PRUDÊNCIA, MODERAÇÃO, BEM APLICADO. SE ASSIM É, TRANSMITIREMOS AS QUALIDADES SUPRACITADAS. 


SIMBOLOGIA DO SAL / VIDA DO DISCÍPULO DE CRISTO: 

A. PRESERVAÇÃO – ATRAVÉS DO DISCÍPULO HÁ PREVENÇÃO, HÁ LIVRAMENTO DE ALGUM MAL (Tg 5.20).

B. FIDELIDADE E CONSTÂNCIA – O VERDADEIRO DISCÍPULO É REGULAR, FREQUENTE, PERSISTENTE, TEM FRANQUEZA, SINCERIDADE. É EXATO, FIRME, MERECE CRÉDITO. CUMPRE O PROMETIDO. Ver 1 Co 15.58

C. HOSPITALIDADE (SAL DA AMIZADE) – ACOLHER QUEM PRECISA (Cf. Rm 12.13; Cl 2.14; Hb 13 2; 1 Pe 4.9). 



II. O CRISTÃO COMO LUZ DO MUNDO 

A LUZ DOS DISCÍPULOS É SENSÍVEL AO OLHO HUMANO, POIS, OS DEMAIS SENTEM, PERCEBEM E APRECIAM... 
HÁ UM BRILHO, UMA LUZ VIVA, UM ESPLENDOR DE GLÓRIA O CERCA. 
O DISCÍPULO REFLETE, DÁ COR, FAZ SURGIR! TEM UMA VIBRAÇÃO ESPIRITUAL, DIVINA. 
SUA LUZ TEM UMA FONTE: DEUS (DE ONDE SAI) Tg 1.17. 

OS DISCÍPULOS, SENDO LUZ, TRAZEM: 

*** ESCLARECIMENTOS – EXPLICAM A NORMA QUE É TIDA POR VERDADEIRA. 
*** COMPREENSÃO – ELES TÊM PERCEPÇÃO. VER 1 Jo 2. 20, 27. 
*** INTENSIDADE – ESTÃO EM ATIVIDADE, SE ESFORÇAM, SÃO FORTES... 


SENDO ASSIM, OS DISCÍPULOS PRODUZEM RESULTADOS, COM FIRMEZA DE VONTADE! 


Por Fernando José 


BIBLIOGRAFIA:
Mini Aurélio Século XXI (Ed. Nova Fronteira)
VINE, W.E., Merril F. Unger e William White Jr. Dicionário Vine: o significado exegético e expositivo das palavras do Antigo e do Novo Testamento. (CPAD, 2006).
http://www.viaki.com/home/saude/sal.php - Acesso em 06/09/2015.




Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material, desde que informe o autor. Não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais. 



segunda-feira, 24 de outubro de 2016

#VC8 - ALTRUÍSMO E COMPROMISSO





VISÃO CRISTOCÊNTRICA (8): ALTRUÍSMO E COMPROMISSO.



1. ALTRUÍSMO

ALTRUÍSMO É O AMOR DISPOSTO A APOIAR E AJUDAR.
ESTAR DISPOSTO É COLOCAR-SE NO POSTO EXATO, ESTAR NO LUGAR CORRETO, BEM SITUADO, PARA QUE, QUANDO A VOZ FOR DIRECIONADA, POSSA SER OUVIDA/CUMPRIDA... SE, AO SER ECOADA A VOZ, NÃO NOS ENCONTRARMOS NO LUGAR, A RESPOSTA SERÁ: “ESPERE AÍ!”. DE OUTRA FORMA HAVERÁ CORRESPONDÊNCIA: “EIS-ME AQUI!”. 



2. COMPROMISSO

COMPROMISSO DE CRIAR MEIOS PARA AUXILIAR, ALIVIAR A CARGA DOS DEMAIS: 

Evangelizar é difundir as boas novas de que Jesus Cristo morreu por nossos pecados e ressuscitou segundo as Escrituras, e de que, como Senhor e Rei, ele agora oferece o perdão dos pecados e o dom libertador do Espírito a todos os que se arrependem e creem. (...) Os resultados da evangelização incluem a obediência a Cristo, o ingresso em sua igreja e um serviço responsável no mundo. (PACTO DE LAUSANNE, ARTIGO 4°). 

O alvo deve ser o de conseguir por todos os meios possíveis e no menor espaço de tempo, que toda pessoa tenha a oportunidade de ouvir, de compreender e de receber as boas novas. Não podemos esperar atingir esse alvo sem sacrifício. Todos nós estamos chocados com a pobreza de milhões de pessoas, e conturbados pelas injustiças que a provocam. Aqueles dentre nós que vivem em meio à opulência aceitam como obrigação sua desenvolver um estilo de vida simples a fim de contribuir mais generosamente tanto para aliviar os necessitados como para a evangelização deles. (PACTO DE LAUSANNE, ARTIGO 9°). 

COMPROMISSO É AGIR COM DILIGÊNCIA, ESFORÇANDO-NOS PARA SEGUIR A CAMINHADA, DE FORMA SEMELHANTE A QUEM DEU O MAIOR EXEMPLO (QUE DEVE SER IMITADO) JOÃO 13.15.



PARA CONCLUIRMOS, DEIXO ABAIXO UM TRECHO DO LIVRO MESTRE DOS MESTRES DE AUGUSTO CURY, QUE FALA SOBRE ESSE EXEMPLO MAIOR: 

ÀQUELA ALTURA, CRISTO ERA PROFUNDAMENTE EXALTADO E ADMIRADO PELOS DISCÍPULOS. TODA PESSOA SUPER ADMIRADA FICA MUITO DISTANTE DAQUELES QUE A EXALTAM. ELE TINHA GRANDE POPULARIDADE, AS MULTIDÕES O SEGUIAM ATÔNITAS. OS DISCÍPULOS, POR SUA VEZ, ESTAVAM EXTASIADOS POR SEGUIR UM HOMEM TÃO PODEROSO, A QUEM CONFERIAM NADA MENOS QUE O STATUS SE DEUS. OS IMPERADORES ROMANOS QUERIAM DESESPERADAMENTE UM POUCO DESSE STATUS E, PARA TANTO, USAVAM A VIOLÊNCIA. CRISTO ADQUIRIU ESSE STATUS ESPONTANEAMENTE. SEUS DISCÍPULOS O CONSIDERAVAM TÃO GRANDE QUE PARA ELES CRISTO ESTAVA NOS “CÉUS” E ELES ESTAVAM AQUI NA TERRA COMO SIMPLES APRENDIZES, SERVOS. 
DIANTE DISSO, CHEGOU O MOMENTO DE ESSE MESTRE INTRIGANTE DAR-LHES UMA LIÇÃO INESQUECÍVEL. QUANDO TODOS O COLOCAVAM NAS ALTURAS, INATINGÍVEL, ELE SUBITAMENTE SE INCLINOU EM SILÊNCIO, CHEGANDO AO NÍVEL DOS PÉS DOS SEUS DISCÍPULOS. TOMOU CALMAMENTE UMA TOALHA, COLOCOU-A SOBRE OS OMBROS, PEGOU UMA BACIA DE ÁGUA E, SEM DIZER PALAVRA ALGUMA, COMEÇOU A LAVAR OS PÉS DELES (JOÃO 13. 4-5) (...) NUNCA HOUVE QUEM, SENDO CONSIDERADO TÃO GRANDE, SE FIZESSE TÃO PEQUENO. NUNCA NINGUÉM COM O INDESCRITÍVEL STATUS DE DEUS FEZ UM GESTO TÃO HUMILDE E SINGELO! NUNCA O SILÊNCIO FOI TÃO ELOQUENTE... TODOS OS DISCÍPULOS FICARAM PERPLEXOS COM AQUELA ATITUDE. (Ed. Sextante- pp.181,182) .


por Fernando José.




BIBLIOGRAFIA: 
PACTO DE LAUSANNE [Lausanne, Suíça, 1974]
CURY, Augusto. MESTRE DOS MESTRES - (Ed. Sextante) .
Mini Aurélio Século XXI (Ed. Nova Fronteira).





Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material, desde que informe o autor. Não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais. 








segunda-feira, 17 de outubro de 2016

#VC7 - DOUTRINA





VISÃO CRISTOCÊNTRICA (7): DOUTRINA



Segundo o Mini Aurélio Século XXI (Ed. Nova Fronteira), ‘Doutrina’ é: “conjunto de princípios que servem de base a um sistema filosófico, científico, etc.; ensinamento.” 


A Bíblia traz referências a falsas doutrinas: 

“... para proferir erros contra o Senhor...” (Isaías 32.6). 
“... da doutrina dos fariseus.” (Mateus 16.12). 
“... filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo...” (Colossenses 2.8). 
“... por doutrinas várias e estranhas...” (Hebreus 13.9). 

==> Ver ainda: Apocalipse 2.14, 15

Já em Deuteronômio 32.2 a Doutrina Verdadeira se compara a gotas da chuva, ou, como o orvalho que caem sobre as ervas e vegetação nos campos, a fim, de trazer vigor, vitalidade e fertilidade. 

A Doutrina de Deus é “qual orvalho que dá vida às flores” (Harpa Cristã 296). 

DOUTRINA (Gr. didache) nos traz a idéia de: 

- mestre/doutor; 
- instrução; 
- aquilo que é ensinado com autoridade - e traz admiração. Confira Mateus 7.28
- ensinar. 

COMO A DOUTRINA NOS ALCANÇA? 

Na Doutrina, aquele que comunica (ensinador) fala, afirma e proclama com um propósito: fazer com que o ensinado venha conhecer, aceitar e viver em harmonia com Deus (dono da Doutrina) e com o próximo (co-participantes da Doutrina). É mais ou menos assim: 

EU OUÇO A PALAVRA. POR ELA SOU FEITO NOVA CRIATURA. SENDO ASSIM, SOU EQUIPADO, PELAS ESCRITURAS, PARA PRODUZIR BOAS OBRAS.


UTILIDADE DAS ESCRITURAS 

A Escritura é proveitosa (õphelimos). Útil e lucrativa para: 

- dar instrução; 
- treinar; 
- informar; 
- anunciar; 
- expor; 
- condenar o erro; 
- mostrar onde nossa direção ou rumo está em discórdia ou lutando com os caminhos de Deus; 
- restaurar; 
- fazer direito; 
- melhorar vida; 
- melhorar caráter; 
- disciplinar; 
- regular; 
- transmitir conhecimentos acerca do que é direito, induzindo-nos a fazê-lo. 


Por Fernando José 


BIBLIOGRAFIA:
Mini Aurélio Século XXI (Ed. Nova Fronteira)
VINE, W.E., Merril F. Unger e William White Jr. Dicionário Vine: o significado exegético e expositivo das palavras do Antigo e do Novo Testamento. (CPAD, 2006).




Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material, desde que informe o autor. Não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.