sábado, 11 de março de 2017

A Bondade de Deus





Pela Sua Bondade ele fala, faz-nos vencedores, enche-nos de gozo, guia-nos pelo Caminho Bom, enche-nos de real valor, de poder celestial, nos unge, promete, cumpre, abençoa, reveste-nos, inflama-nos, nos desperta, traz a brisa, nos aquece, enche nossos corações...  A Bondade de Deus é favorável e torna-nos favoráveis, traz prazer/deleite; ela traz satisfação, traz festa (heb. tôb – bom, festivo), nos qualifica. A Bondade Divina faz-nos “subir daquela terra a uma terra boa e larga, a uma terra que mana leite e mel" [1]. Por ela, ele abre os céus, manda água, faz brotar frutos da terra, traz potencial, produtividade; essa bondade nos encanta, contenta-nos, enfim, “cai bem”! A pergunta: “Que darei eu ao SENHOR, por todos os benefícios que me tem feito?" [2], deixa clarividente que, por mais que tentemos retribuir, oferecer ou corresponder ao melhoramento, às vantagens, aos proveitos e resultados concretos que o Bom Deus nos concede, nada seria.... Não temos como transferir, não tem como explicar ou retribuir! Logo, o “Efeito Barganhar”, aquela troca de objetos através de um acordo, não existe na relação Senhor-servo. Nessa relação, a permuta (com seus acordos, trocas, pertences, substituições, combinações e contratantes) não é bem aceita. O ser humano, “barganhoso” por natureza, é desbancado logo de primeira com a seguinte expressão:

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” [3].

Deus deu. Ele cedeu, ofereceu. Ele não deu por salário ou  pagamento por algo que nós fizemos por Ele antes; não trabalhamos pra Ele, antes, porém, Ele escolheu aos seres humanos, imperfeitos, aqueles que erram e se escondem atrás das árvores, aqueles que inundam a terra com as suas malícias, aqueles que corrompem o sagrado, os mesmos que sempre duvidaram da sua Palavra; escolheu-os para lhes oferecer as suas dádivas! Não temos como pagar isso.

“Nosso tudo” (que tanto é proclamado pelas igrejas atuais) praticamente não existe. O que temos pra oferecer? A quem pertence a nossa vida? E as coisas que vêm anexas a ela, quem concedeu? O que temos? O que somos? Viemos de onde? Tudo não vem Dele?

O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens; Nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas; E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação; Para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, o pudessem achar; ainda que não esteja longe de cada um de nós; Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração[4].

Ele é quem dá todas as coisas... Não adianta tentarmos comprar o dom, subornar o profeta, esconder a minha parte da venda e dizer que ganhei menos, não adianta disputar, Ele é quem dá todas as coisas... Cabe a nós buscá-Lo em oração, sem fórmulas interesseiras e materialistas, cabe a nós a probidade, a decência, juntar o útil ao agradável, trabalhar - ser ativos profissional e espiritualmente, aplicar esforços na nossa luta espiritual, de forma a exercer o chamado que temos - caminhar na companhia Dele, observá-Lo atentamente - com o pensamento, com o olhar  seguindo a Sua direção. Compete a nós, vencer o mal (com Ele), ter zelo - que inclui dedicação, afeição, diligência - firmeza para  praticar atitudes corretas!

Por Fernando José. 



NOTAS:
[1] (Êxodo 3. 8)
[2] (Salmos 116:12)
[3] (João 3.16)
[4] (Atos 17:24-28)



REFERÊNCIAS:
  • VINE, W.E. Dicionário Vine: O significado exegético e expositivo das palavras do Antigo e do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD.
  • Novo Testamento Interlinear Grego - Português. Concordância Bíblica, Barueri: SBB.
  • Dicionários da Língua  Portuguesa.



Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material, desde que informe o autor. Não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.
Postar um comentário