sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Resenha: Quem precisa de teologia?





GRENZ, Stanley J; OLSON, Roger E. Iniciação à Teologia: Um convite ao estudo acerca de Deus e de sua relação com o ser humano (Título original em inglês: Who Needs Theology?) – Tradução: Werner Fuchs; São Paulo: Editora Vida, 2006.168 pp.


Quem precisa de teologia? Aparece no cenário atual reeditado com o título Iniciação a Teologia: Um convite ao estudo acerca de Deus e de sua relação com o ser humano, trazendo esclarecimentos sobre teologia, comentando definições e trazendo aplicações para a vida diária cristã. Os autores prezam pela defesa à Teologia e apresentam contribuições visando o aprofundamento sobre a mesma, trazendo ferramentas para a formação e uma eficaz experiência nesta ciência.
Segundo GRENZ e OLSON, a Teologia como ciência não estuda Deus, mas sim, estuda o que o homem entende sobre Deus – a realidade sobre a divindade, a relação da divindade com o homem. Dessa forma a Ciência Teológica tem como objetivos: compreender os conteúdos da fé cristã, esclarecer pontos de doutrina, promover a convivência com outras visões religiosas, trazer um crescimento humano de vida e amadurecer a fé.
Considerado por muitos como um trabalho teórico, metodológico e epistemológico, o livro Iniciação à Teologia traz em seu bojo respostas para as nossas interrogações sobre a praticidade da Teologia. É uma obra organizada a fim de facilitar o entendimento do leitor quanto ao assunto.
GRENZ e OLSON esclarecem que, quanto à reflexão séria sobre as questões fundamentais da vida, todos somos teólogos, pois, para os autores, as perguntas mais profundas da humanidade levam à teologia, já que essas questões giram em torno da indagação sobre Deus e nos ingressam no âmbito da teologia, a mesma nos traz aprofundamento em
meio às questões, tais como: “Será que Deus está interessado em mim?”, “Ele me ama?”, “Como posso encontrar Deus?”, “Porque Deus permite o mal?”, “Existe realmente um Deus?”.
Para os autores, o estudante de Teologia deverá empregar esforço intelectual para que possa obter a descoberta através da crença e da vivência. Sendo assim, é imprescindível procurar entender o porquê daquilo que é a nossa crença. Fé é unidade e complexidade ao mesmo tempo, logo, fé é experimentar e praticar! Não é somente o estudo detalhado da Bíblia, é fé buscando entendimento e requer engajamento profundo, amor pelas almas, vida prática... Em síntese, é um aprendizado que traz solução e aplicação na vida diária.
GRENZ e OLSON veem a teologia como uma ciência antiga e respeitada, que tenta penetrar abaixo da superfície da vida alcançando um profundo entendimento acerca de Deus. Segundo os autores, o estudo teológico não é exclusivamente cristão, é de cunho universal. O que diferencia os dois é que o movimento cristão tem a convicção de que Cristo é a resposta – ele é a revelação de Deus. A teologia observa o entendimento acerca da crença da cristandade. E, diante da diversidade das afirmações no ambiente pluralista em que vivemos, a teologia proporciona ajuda aos cristãos, alicerçando vidas conforme a Bíblia.
Diante das novas doutrinas que surgem, GRENZ e OLSON afirmam que o cristão só poderá descobrir e fazer a rejeição dos falsos ensinamentos achegando–se à teologia, juntando ortodoxia e amadurecimento seja associando, desenvolvendo ou formulando ideias, tendo em mente que a teologia é o sustento da vida cristã. Agindo assim, o cristão em seu estudo teológico, tomará atitudes corretas que o levará a lançar fora crenças incorretas, caminhando para um fortalecimento na fé, que requer orientação, crítica, testes e reflexão.


Para os autores, a teologia torna os cristãos mais firmes e mais seguros no que creem, e, em meio à rejeição da ciência teológica, o leitor poderá alcançar benefícios nos diversos níveis da teologia.



 Por Fernando José.





A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Blog O Inconformista.








Postar um comentário