sábado, 7 de junho de 2014

LIÇÃO 10: O Ministério de Mestre ou Doutor (Auxílio - Jovens e Adultos: CPAD, 2º Trimestre de 2014 - por Fernando José)



Mestres e Doutores

Gr. didaskalos (mestre, doutor, professor, o que ensina).

No Novo Testamento vemos exemplos de Mestres e Doutores:
Jesus Cristo,
Cristo é demonstrado nos Evangelhos como o Mestre que tem autoridade, causa admiração, que fala e faz, transforma, traz novidades, doação, decisão e manifestação de amor.
Nicodemos (João 3),
Doutores na igreja Antioquia (Atos 13.1),
Como sinal de organização, a igreja de Antioquia já tinha - em Atos 13 – o seu compartilhar de bênçãos e responsabilidades, quando Lucas deixa evidente que havia doutores naquele lugar.
Paulo,
Zenas (Tito 3.13)...

No corpo de Cristo há amor, unidade e diversidade. Entendemos, porém, que essa diversidade não tem a ver com divisões, separatismos, contendas... O  mestre/doutor aparece nesse cenário, com um dom dado por Cristo, ensinando, tendo em mente que o mesmo ensino é importante para promover unidade, conhecimento e aperfeiçoamento dos santos (Efésios 4.11).

O mestre e o ensino
O mestre é:
- professor,
- o que leva o discípulo ao aprendizado,
- aquele que ensina a alguém,
- doutor entre as igrejas, conduzindo-as no caminho,
- o mestre é o professor que traz a Lei, a Doutrina e guia na instrução.

Através do ensino, o mestre/doutor anuncia a Palavra de Deus preparando os demais para o serviço. através do ensino há organização, partilha, funcionamento regular, tomada de decisões, respeito, temor  e discernimento!

O mestre/doutor deve ser sinônimo de:
Ensino,
Edificação,
Excelência,
Autoridade,
Dedicação,
Cultura,
Teologia,
Filosofia,
 Intelecto,
Doutrina,
Eficácia,
Amadurecimento,
Perícia,
Qualificação,
Letras,
Estudo.

O lugar do mestre/doutor
O mestre não é a cabeça, ele faz parte do Corpo de Cristo – nas cartas paulinas aos coríntios e aos efésios há um lugar estabelecido por Deus, na Igreja (1 Coríntios 12. 28; Efésios 4.11).

A doutrina e o doutor
João Batista Ribeiro no seu Dicionário Bíblico considera Doutrina como “conjunto de crenças sobre Deus, Jesus Cristo, a natureza, a humanidade, instituição etc., autoritativos e dignos de aceitação pelos comungantes ou associados” (Ed. Didática Paulista, 2006 - p. 128). Sendo assim, da Doutrina surge o doutor, aquele que traz a instrução na comunidade cristã. Ser doutor requer dom, formação. O que traz a Doutrina traz o fundamento para a fé em Cristo.


Textos Complementares 1
Teologia Sem Dificuldades
No Cristianismo atual não deveria haver tanta dificuldade de se responder às questões levantadas, nem nos textos com amarras ou nas doutrinas aparentemente sem roteiro. Não há dificuldade em procurar entender textos bíblicos, não há empecilhos poderosos quanto à compreensão da Teologia – que é falar com e sobre Deus, pensar e interagir com Javé. Há sim, falta de líderes como o Apóstolo Paulo, que foi tido como um solucionador de problemas nas comunidades cristãs de sua época, com suas missivas poderosas direcionadas pelo Espírito Santo. Da mesma forma, falta instrutores como Esdras e os demais (Neemias 8. 6-7) que explicavam a Lei ao povo. Traduziam, liam e explicavam. Traduziam porque estavam diante dos hebreus que vieram da Babilônia e não tinham afinidade com o hebraico. É preciso explicar para o povo entender. O Levita, ou no popular, o Obreiro, não é o que está assentado num trono, acima do povo, mas, aquele que o serve. Servir com a abertura do Livro, com a leitura do mesmo e sua explicação, com o louvor, com a oração, e isso de forma serena, emocionante, sensível, transformadora, transparente e responsável, a fim de que haja o sagrado, a conversão, o choro, o repartir, a alegria e a fortaleza!

Fernando José, Disponível em http://oinconformista10.blogspot.com.br/2014/03/teologia-sem-dificuldades.html . Acessado em 07/06/2014.

Textos Complementares 2
Aos Pregadores Pentecostais da Atualidade: Gramática, História, Teologia e outras coisas mais...

Temos vivido o avanço das redes sociais (RS) pelo mundo afora. Constatamos que as RS tem cooperado para o bem, mas, ao mesmo tempo se demonstrado cruel concernente ao seu mau uso, i. e., revolucionamos para viver e vivemos para a degradação social, moral, política... Temos deixado nossas vidas exposta! E, ao que se referem aos nossos pregadores, pastores, cantores e etc. (na sua maioria pentecostal) há uma exposição negativa devido à forma de se comunicar ao transmitir a mensagem do Evangelho, ou ainda, nos seus anúncios, convites... Dizem por aí que “Deus não chama os capacitados, mas, capacita os escolhidos”! Mas, espere aí! Os chamados à espera da capacitação vão viver “O Evangelho Segundo Raul Seixas”? “... com a boca escancarada, cheia de dentes, esperando a morte chegar...”? Espera a capacitação, espera o preparo, espera o dom... É! Espera logo a morte chegar! O pregador pentecostal (PP) precisa morrer, mas não morrer esperando a morte chegar (i. e., as coisas caírem do céu), precisa morrer na oração, no jejum, na Palavra, estudando... o problema é: o neófito passa pelo batismo nas águas (na maioria das vezes, sem o discipulado) e já quer ser obreiro, já quer ter um “cargo”, não quer ser “Crente de Banco”! Eu acho que só deve ensinar quem um dia se dispôs a aprender. Se não aprendeu, Tchau! Cultos com ênfase no ensino bíblico devem ser os mais frequentados pelo atual e futuro PP. O fogo (emoção/iluminação) deve estar mesclado com a razão (estudo, raciocínio, perfeccionismo). – Mas, e eu que não tive muito estudo? Disse bem: “não tive”, agora você é nova criatura (1 Coríntios 5.17). Nova criatura para viver, pensar, estudar, devotar, dedicar-se, ler, escrever, conformar e inconformar-se. Não somos novas criatura só para “entrar no mistério”, dar dois pulinhos, dizer “Glória a Deus” e “Aleluia” e pronto! Somos para revolucionar, transtornar o mundo (Atos 17.6). Revolução/mudança não é o que temos visto nas ações pentecostais televisivas da atualidade, personagens que se metem nos negócios alheios, “grupo divino” contra “grupo do capeta”, “as leis daqui são melhores que as dali”, e outros besteiróis afins...! Convoco-os a irmos de encontro a esse “blá, blá, blá” da crentaiada que diz: “- Vamos dominar o mundo” (coisa de desenho animado, não é?). Como diz o baiano da gema: “- É tudo presepada! Pura engomação!”. Daí a necessidade dos anônimos (que, na sua maioria, querem o estrelato a qualquer custo) se debruçarem nas Escrituras (estudo) e na oração (poder/ ligação). Mostrar para o povo “gospel” e “mundano” a realidade que os mestres atuais ensinam nas salas de aula das academias teológicas da vida, mas por omissão, não ensinam nos templos com medo de perder status e, consequentemente, as geradoras de gordura, as ovelhas! Então vamos lá: Gramática, História, Teologia e outras coisas mais...
Gramática
O PP precisa aprender: - a escrever as palavras de forma correta, - estudar sobre os fatos e as regras da linguagem, - procurar (frequentemente) tirar as dúvidas de português, - formar e estruturar as palavras, - ter uma ideia concreta sobre nomeação (Substantivo) dos seres, objetos, lugares, etc., - estudar sobre Qualidade, Quantidade, Definição/Indefinição, Substituição, Determinação... Mas, para quê isto? Para não está, segundo o ditado popular, “confundindo Jesus com Genésio”. Uma mensagem (anúncio, convite, texto) mal escrita coloca-se como uma barreira/ruído na comunicação. Então, precisamos pôr a mão à obra: comecemos a ler para melhor escrever. Lendo bem, escreveremos bem, falaremos bem, pregaremos bem. Manuais de gramática e redação irão nos ajudar em muito, a fim de que venhamos dirimir as dúvidas e evitar grandes erros na escrita que é destinada ao público alvo.
 História
Para o PP estudar História é entender um pouco sobre seus períodos (divisões), sobre o surgimento do Homem, teorias e leis científicas, tipos de governo, impérios, povos, nações... É pesquisar sistemas (economia, política, religiões, etc.) e mergulhar na História da Igreja (início, perseguição, apologia, vivência, editos, credos, concílios, etc.).
Teologia
Para muitos não seria possível “fazer faculdade” por diversos motivos. Mas, não aproveitar o tempo para ser um autodidata (instrução sem o auxílio de professores) é desperdício, injustiça, negligência... A partir do momento que alguém estar em Cristo, sendo um novo convertido à fé cristã, essa ideia deve ser implantada, de forma natural, em sua mente: “estudar, conhecer, orar, esforçar-se”. Em casa, no trabalho, na escola, você pode aprender Teologia, e, estudando Teologia, você conhece um pouco de cada coisa: Deus (Teontologia), Cristo (Cristologia), Espírito Santo (Pneumatologia/Paracletologia), Geografia e História Bíblica, Hermenêutica (arte da interpretação de textos) Homilética (arte de pregar), Bibliologia (autores, livros, datas), podemos citar, também, Hamartiologia, Soteriologia, Angelologia, Escatologia... Todas as matérias supracitadas e muitas outras estão disponíveis hoje nos meios de comunicação (livros, TV, rádio...), principalmente na internet! Falei no começo que a internet (principalmente as RS) tem “... ao mesmo tempo se demonstrado cruel concernente ao seu mau uso...”, mau uso porque viciamos em bate papo, em ver fotos (da vida does nossos e dos outros que não tem nada a ver), em compartilhar besteiróis (na sua maioria “gospel”), enquanto milhões e milhões de letras, textos, artigos estão à nossa volta! O conhecimento está próximo de nós e não sabemos utilizá-lo. Não há dedicação, não há estudo. Ficamos à mercê das profecias (digo, profetadas), das visões (melhor, visagens) e das revelações mal reveladas...! Creio em milagres, em dons espirituais, em outras/novas línguas, enfim, em manifestações atuais do poder de Deus, mas, sempre tive isso em mente: para que “caia poder”, manifestação dos dons, “retété” e etc. e tal, é preciso oração, entrega, bíblia e outras coisas mais...! Prepare a terra e haverá chuva, prepare o altar e haverá fogo, endireite a vereda, transforme-a num caminho e virá o Messias. Como diz David (Paul) Yonggi Cho: “Comece pequeno, depois cresça até ficar grande”.

Fernando José, Disponível em http://oinconformista10.blogspot.com.br/2013/07/aos-pregadores-pentecostais-da.html . Acessado em 07/06/2014.


Por Fernando José.

                             
Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material, desde que informe o autor. Não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais


Bibliografia:                                                                                                                     
Bíblia Sagrada.
Bíblia Católica, Edição Pastoral.
Lições Bíblicas CPAD - 2° Trimestre de 2014: Dons Espirituais e Ministeriais - Servindo a Deus e aos homens com poder extraordinário.
M. Unger / W. White Jr. / W. E. Vine. Dicionário VINE - Editora Casa Publicadora das Assembleias de Deus. 7ª edição (CPAD, Rio de Janeiro: 2006).
Novo Testamento Interlinear - GREGO-PORTUGUÊS (Sociedade Bíblica do Brasil, São Paulo: 2004).
O Inconformista. Disponível em http://oinconformista10.blogspot.com.br/ Acessado em 21/05/2014.
SANTOS, João Batista Ribeiro. Dicionário Bíblico: Conhecendo e entendendo a palavra de Deus (Didática Paulista, São Paulo: 2006).


Postar um comentário