segunda-feira, 3 de outubro de 2016

#VC5 - VIOLÊNCIA






VISÃO CRISTOCÊNTRICA (5): VIOLÊNCIA



VIOLÊNCIA pode ser considerada como:

Infração a lei.
Transgressão.
Intenção de fazer o mal, prejudicar.
Grande injustiça.
Ação negligente ou imprudente que causa dano a outra pessoa.
Passar dos limites, violando a lei.
Praticar/exercitar o que é errado.
Conformidade com o erro.
Não fazer de acordo com o que é reto.
Atitude voluntária de desrespeito contra aquilo que é reconhecido como lei.

Temos em Gênesis 6 as primeiras referências a Violência:

A terra, porém, estava corrompida diante da face de Deus; e encheu-se a terra de violência. E viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra.  Então disse Deus a Noé: O fim de toda a carne é vindo perante a minha face; porque a terra está cheia de violência; e eis que os desfarei com a terra. Gênesis 6:11-13

Citemos alguns TIPOS DE VIOLÊNCIA:

  1. FÍSICA: que tem como característica o ferimento em qualquer parte do corpo de uma pessoa com as mãos, pés ou coisas, peças, matérias, etc.

  1. EMOCIONAL: atitudes que expressam gestos de rejeição com o objetivo de humilhar, prejudicar a imagem e o humor de outrem. Pode ser VERBAL (usa-se palavras para ridicularizar, ameaçar, insultar...) ou NÃO-VERBAL (agressividade através do corpo, olhar, indiferença, gestos, silêncio, etc.).

  1. SEXUAL: contato sexual que causa danos físicos e emocionais. Exemplos: ASSÉDIO, ABUSO, VIOLAÇÃO, INCESTO...

  1. DE PROPRIEDADE: vai de encontro à propriedade e aos pertences.


Agora vamos às FORMAS DE VIOLÊNCIA (ou, criminalidade):

  1. TRÁFICO (drogas, materiais, pessoas...).

  1. TERRORISMO.

  1. CRIME ORGANIZADO.

  1. ABUSO SEXUAL.

  1. ATAQUES ÀS NORMAS E À ORDEM PÚBLICA.

  1. DELINQUÊNCIA JUVENIL (gangues, quadrilhas...): surge da fusão do alto nível de prosperidade de um lugar, sua pobreza e o querer conseguir bens de qualquer forma.

  1. RACISMO.


Para o VINE, VIOLÊNCIA é ”... rompimento da ordem das coisas divinamente estabelecidas” (VINE – CPAD, 2006). Ainda sobre a violência, assim escreveu o Rev. Hernandes Dias Lopes: “A depravação moral pode ser vista (...) na violência urbana: as cidades tornaram-se campo de barbárie...” (A Segunda Vinda de Cristo: Nossa Esperança – Hagnus, 2010)


REFERÊNCIAS BÍBLICAS SOBRE O TERMO “VIOLÊNCIA”:

A terra cheia de violência nos dias de Noé:

Então disse Deus a Noé: O fim de toda a carne é vindo perante a minha face; porque a terra está cheia de violência; e eis que os desfarei com a terra.Gênesis 6:13

Violência nos dias de Jó:

Roubam os rebanhos, e os apascentam. Do órfão levam o jumento; tomam em penhor o boi da viúva. Desviam do caminho os necessitados;  Jó 24:2-4

O Livro de Salmos retrata a violência:

Pois tenho visto violência e contenda na cidade. Salmos 55:9

Vestem-se de violência como de adorno. Salmos 73:6

Violência no Livro de Provérbios:

Pois não dormem, se não fizerem mal, e foge deles o sono se não fizerem alguém tropeçar.  Porque comem o pão da impiedade, e bebem o vinho da violência. Provérbios 4:16-17

A IGREJA X A VIOLÊNCIA

A Igreja é aquela que revela as várias formas da sabedoria de Deus (Efésios 3:10), com isso, podemos inferir que fica a cargo dela (já que é a representante de Deus na Terra) o fazer justiça aos sem pai, sem mãe e aos oprimidos (àqueles que sofrem violência). Ela é o Porto da Graça. A Igreja trabalha prevenindo, afim de que a violência seja evitada. Ela tem a virtude de dar forma a sociedade, criar meios de amparar os oprimidos, pôr as coisas sociais em ordem, preparar um povo (outrora violento) para sentir, se envolver com um Espírito que age sem violência, servindo a Deus que promove a paz que é a ausência de violência, perturbações, conflitos, desassossego...

Vejamos o seguinte trecho bíblico:

E eis que se levantou um certo doutor da lei, tentando-o, e dizendo: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? E ele lhe disse: Que está escrito na lei? Como lês? E, respondendo ele, disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.  E disse-lhe: Respondeste bem; faze isso, e viverás. Ele, porém, querendo justificar-se a si mesmo, disse a Jesus: E quem é o meu próximo? E, respondendo Jesus, disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores, os quais o despojaram, e espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto. E, ocasionalmente descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e, vendo-o, passou de largo. E de igual modo também um levita, chegando àquele lugar, e, vendo-o, passou de largo. Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou ao pé dele e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão; E, aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando-lhes azeite e vinho; e, pondo-o sobre a sua cavalgadura, levou-o para uma estalagem, e cuidou dele; E, partindo no outro dia, tirou dois dinheiros, e deu-os ao hospedeiro, e disse-lhe: Cuida dele; e tudo o que de mais gastares eu te pagarei quando voltar. Qual, pois, destes três te parece que foi o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores? E ele disse:  O que usou de misericórdia para com ele. Disse, pois, Jesus: Vai, e faze da mesma maneira. Lucas 10:25-37

Com esse exemplo faremos um paralelo com a Igreja, que tem um papel acolhedor quanto às vítimas da violência. Um homem (comum, desconhecido) percorre seu caminho de aproximadamente 24 km (Jerusalém – Jericó). Ele descia esse caminho, descendo encontrou bandidos; ladrões que o saquearam mediante violência, com espancamento levaram-no a perder o que tinha. Saíram, pois, os salteadores deixando para trás o certo homem, abandonado. Neste momento, pelo mesmo caminho, passa um sacerdote (aquele que oferece sacrifícios, representante de todo o povo) e vem por longe. Também passou pelo mesmo caminho um levita (um daqueles escolhidos por Deus para servir no Tabernáculo), este, também, atravessou seu percurso de longe. Por fim, vem um samaritano (habitante de Samaria, desprezado pelos judeus, tido como idólatra, politeísta...); enquanto os outros viram e passaram de longe, ele se aproxima, cuida, traz a cura, dá transporte, dá hospedagem e, ainda pagará o que vier a ser usado na convalescença.

Tomemos como exemplo este fato. A Igreja é considerada, biblicamente, como ”sacerdócio santo” - que oferece sacrifícios, intercede pelo povo, e, como levita foi “chamada para fora” do mundo para servir. Mas, não podemos perder o foco. Não nos embaracemos “passando de longe” quanto aos oprimidos, aos que sofrem violência. Servir a Deus é servir ao necessitado. Temos esquecido isso constantemente; essa nossa “amnésia santa” está nos atrapalhando. Deixemos de lado os que viram e passaram de longe e sigamos o exemplo do menosprezado samaritano - que se aproximou e agiu. Deus quer usar a Igreja no seu papel acolhedor. Ele quer mostrar que, através da justiça da Igreja, a violência pode ser evitada. Ele quer mostrar que, quando igrejas de inúmeros lugares, se juntam em oração e clamor, Ele traz a paz e intervém, evitando o pior.


Por Fernando José, em Julho/2012. Revisado em Setembro/2016.



Bibliografia:

Mini Aurélio (Ed. Nova Fronteira, 2000).
VINE, W.E., Merril F. Unger e William White Jr. Dicionário Vine: o significado exegético e expositivo das palavras do Antigo e do Novo Testamento. (CPAD, 2006).
LOPES, Hernandes Dias. A Segunda Vinda de Cristo: Nossa Esperança – Hagnus, 2010



Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material, desde que informe o autor. Não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Postar um comentário