terça-feira, 15 de outubro de 2013

ESPERANÇA NO DESERTO (N° 004)


ESPERANÇA NO DESERTO
Ao sair do Egito os israelitas puderam constatar maravilhas realizadas pelo Grande Deus. Ele operou maravilhas dentro da ambiente idolátrico de Faraó no Egito.  Tirou o seu povo da escravidão, depositou uma lei em Israel, com o objetivo de que os pais passassem para os filhos o ensino, o conhecimento que deixava claro que o povo devia ter esperança em Deus, não deveria esquecer-se das suas obras, enfim, guardar os seus mandamentos. Os filhos (descendência) aprenderiam e, conseqüentemente, não seriam rebeldes, pecadores, tentadores e insatisfeitos como seus pais, que viram o Mar se dividindo, a nuvem de dia, o clarão de fogo à noite. Eles (os descendentes de forma imediata e também futura) deveriam colocar suas vidas na esperança em Deus, certos de que Ele proveria a coisa exata no momento exato, mesmo em meio ao deserto, lugar de aridez, seco, impróprio à vida.

Por Fernando José.

Postar um comentário